Hoje não trago flores

Hoje não trago flores
Hoje não trago flores.
Só a tristeza trago.
Ela me acompanhou
Mesmo sem eu querer.
Sem ao menos perguntar se podia.

E multiplicou a dor
Esqueceu do prazer e da alegria
Hoje enfim descobri uma verdade.
Que o que tenho a oferecer
É muito menos do que pode conter
uma lágrima (furtiva e discreta).

Menos que uma ilusão passageira,
Ofereço o meu talento tosco e mal acabado.
O que oferto não enche um dedal
O que trago não pesa um grama
Mas tem o peso de uma dor aguda.
E isso é grave.

Hoje não trago flores.
Orquídea ou gerbera,
Mas uma tristeza, uma vergonha e uma certeza,
Que vieram a reboque, sem pedir licença
E estão à espera
Da uma palavra ou um sorriso seus.

Hoje não trago flores,
Trago a terra e o suor das estradas
Nas roupas, no rosto e nas botas...
Mas bem me queira.
Não tenho eira nem beira,
Apenas o resto da minha vida inteira

Trago uma tristeza na palma da mão
Na outra, fechada, guardo a noite
Mas não pra você, que merece o sol.
Apenas para poder desdobrá-la
Quando estiver sozinho - que piada
E nela poder me esconder
Em meio a mais uma tormenta.

Como um náufrago
Que não se acostuma ao frio
Oceânico que o engole
Agarrado à única lasca de salvação
Que encontrou no mar revolto e escuta
Um Noturno de Chopin ou o adágio de Hadyn
(em mi maior para quarteto)
Uma nota sonolenta ecoa na minha cabeça
E uma tristeza longa flutua no meu ar.

Hoje não trago flores,
Mas uma voz de nicotina.
Nem a esperança trago agora
Mas toda a incerteza do mundo
E uma vontade louca de ir embora.
Partir ao seu encontro, menina,
E me aninhar nos seus braços
E me esquentar no seu colo
Que você me ofereceu uma vez
E aceitar seus carinhos sem pensar
Esquecer das horas em meu solo.

Helio Jenné

4 comentários:

zekiam disse...

linda poesia, merece virar uma linda cançao. maikez, uberlandia mg

Helio Jenné disse...

Obrigado, Maikez. Quem sabe a inspiração aparece trazendo uma idéia para transformar essa poesia em música! Um abraço.

meg disse...

Nem sempre há dias floridos, há dias feridos...as flores murcharam.
A natureza se encarregará de lhes dar cor de novo!E trará um enorme ramo!
Lindo...

Helio Jenné disse...

Obrigado, Meg. Seu comentário tem jeito de poesia e eu adorei! Abração.